domingo, 4 de abril de 2010

Filhos gaivotas

- Mamã! Queriam comer-me! - grasnou a gaivotinha.
- Comer o seu filho? Não, senhora. De modo algum - miou um com a cabeça colada ao chão.
- Nós somos vegetarianos, senhora. Vegetarianos rigorosos - assegurou o outro.
- Não sou uma »senhora», seus idiotas - miou Zorbas puxando-lhes as orelhas para que pudessem vê-lo.
Eriçou-se o pêlo dos dois malvados quando o reconheceram.
- Tem um filho muito bonito, amigo. Será um grande gato - assegurou o primeiro.
- Pois é, vê-se logo que é um gatinho todo bem parecido - afirmou o outro.
- Não é um gato. É uma cria de gaivota, seus estúpidos - esclareceu Zorbas.
- É o que eu estou sempre a dizer aqui ao meu compadre: é preciso ter filhos gaivotas. Não é verdade, compadre? - declarou o primeiro."
in "História de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar", de Luis Sepúlveda

Sem comentários: